Arte Islâmica

13/08/2010 at 10:39 am (Arte)

Sala dourada - Alhambra

Gente… Estava reunindo imagens para uma aula de arte islâmica (fui asssistente do professor de história da arte) e fiquei completamente fascinada!!!! É absurdamente lindo!

O post hoje vai ser curtinho, mas deixo aqui o power point da aula para quem quiser conferir as imagens. Nem todas tem uma boa resolução, mas todas são de tirar o fôlego! Clique no link abaixo:

Arte árabe

Salamaleiko.

Anúncios

Link permanente Deixe um comentário

Catálogos virtuais de pintura – I – Barroco

05/06/2009 at 7:52 pm (Arte, listas, O que todo mundo deveria saber)

Ontem eu estava horrível… não sei se por causa da entrevista ou por causa da gripe (ou ambas), mas o fato é que à noite não se aproveitava metade das coisas que eu falava. Só chupei bala… kkkkkkk

 Por isso hoje só vou falar de alguns sites sobre pintores achados na internet, já que o assunto está escasso:

title

Web Gallery of Art

Esse site é excelente, tem obras em alta resolução de centenas de artistas, na maioria dos casos as obras completas.  São pinturas européias do século XII ao século XIX, e você procura o artista por ordem alfabética.  Excelente.

summer
 Giuseppe Arcimboldo (maneirista, período pré-barroco)

Este site contém a vida e a obra de Giuseppe Arcimboldo, artista do período que ficou conhecido como maneirismo. É muito legal, ele fazia composições de frutas, verduras e objetos diversos que agrupados formavam rostos. Vale muito a pena ver esse trabalho, muito criativo.

200px-Bild-Ottavio_Leoni%2C_Caravaggio

Caravaggio (barroco italiano)

O maior ícone do barroco italiano pode ser visto neste site. Tem tudo: biografia, obras completas e muitos artigos e curiosidades sobre Caravaggio. Pena que está em inglês, mas dá pra ver as pinturas e em todo caso, a biografia em português sempre pode ser consultada na Wikipédia. Quanto aos artigos, o google tradutor quebra o galho.

Self-Portrait-small

Rubens (barroco holandês)

Site sobre o pintor Peter Paul Rubens, que exerceu grande influência sobre as gerações posteriores. Os rubenistas, como eram chamados, seguiam uma linha de pintura que primava pela cor e pelos efeitos visuais e sensoriais. Em Inglês, com biografia e obras completas.

Self-Portrait-1649-small

Nicolas Poussin (barroco classicista francês)

Este site fala sobre o pintor fancês Nicolas Poussin, que também influenciou as gerações posteriores. Seus seguidores eram chamados poussinistas e eram “rivais” dos rubenistas, pois primavam o desenho, a construção “racional” da imagem, ao invés das sensações. Uma briga bem interessante que vale a pena estudar. Também em inglês, com biografia e obras completas.

slf_prtrt_1640mini

Rembrandt van Rijin: life and works (barroco holandês)

Site muito bom sobre este que talvez seja o maior pintor holandês de todos os tempos. Em inglês, traz biografia, obras completas e informações sobre publicações a respeito do pintor.

vermeer-sign

Essential Vermeer (barroco holandês)

Esse site é muito legal. Traz muitas informações, biografia e estudos sobre Johannes Vermeer, além das obras completas. Traz ainda sites de referencia sobre a vida e a obra do artista.

Self-Portrait-small1
Claude Lorrain (barroco francês) 

 Site sobre a vida e obra do pintor de paisagens francês Claude Lorrain, tambám chamado “Le Lorrain”. Em inglês, contém biografia e obras completas.

portrait

François Boucher (Barroco/ rococó)

Um dos principais nomes do rococó, que alguns teóricos definem como um estilo à parte e outros como uma vertente do barroco. Também em inglês, com biografia e obras completas.

Há ainda outros pintores muito importantes no período, como Annibale Carracci, Jean-Honoré Fragonard e Antoime Watteau, entre outros. Todos podem ser encontrados na Web Gallery of Art (obras completas) e na Wikipédia (biografias em português).

Vem aí a Festa Junina da C&R!

untitled

A idéia ainda está na fase embrionária, mas vai sair! Aguardem!

Ouvindo: Namie Amoro – Full Moon

Link permanente Deixe um comentário

Meandros da Arte

29/05/2009 at 6:56 pm (Arte)

Pois é… Quando alguém poderia imaginar que eu gostaria tanto das aulas de história da arte? Na época em que eu fazia Desenho Industrial, não dava a mínima, talvez pelo ambiente de estudo (a turma tinha um monte de playboys) ou pelo fato de os professores serem chatérrimos.  Mas o fato é que hoje eu acho muito interessante observar as modificações pelas quais a arte (e o próprio conceito de arte) passou até os nossos dias.

Atualmente eu estou completely in love com a pintura de paisagens e com a obra do Ingres. Abaixo podemos ver algumas obras que estão, a maioria, em alta resolução. É só clicar em cima para ver em tamanho maior.

Paisagem

Paisagem de Jacob van Ruisdael

Paisagem de Jacob van Ruisdael

Ships in Distress in a Heavy Storm - Ludolf Bakhuysen

Ships in Distress in a Heavy Storm - Ludolf Bakhuysen

Paisagem de Claude Lorrain

Paisagem de Claude Lorrain

Veneza retratada por Canaletto

Veneza retratada por Canaletto

Hoje com a TV, a fotografia, os Outdoors e tantos outros veículos visuais, podemos dizer que estamos totalmente acostumados a ver o mundo enquadrado numa superfície plana. Agora imagine quão maravilhadas ficaram as pessoas ao ver pela primeira vez as lindas paisagens portuárias em recortes sobre uma tela.  “Nossa!!! Como vc conseguiu colocar o mar tão grande aí????” Devia ser um exercício muito difícil, o enquadramento.

Jean Auguste Dominique Ingres

Ingres - Auto-retrato aos 24 anos

Ingres - Auto-retrato aos 24 anos

Já o famoso (e lindo) Jean Auguste Dominique Ingres considerava-se um neoclássico (se é que se pode dizer assim). Era admirador dos grandes mestres, como Rafael, e foi discípulo de Jacques Louis David, o neoclássico-mor, seguindo a linha de Poussin,  do barroco classicista francês. Como bom poussinista, priorizava o desenho ao invés da cor (valorizada pelos seguidores de Rubens, os rubenistas) mas, numa tendência já pendendo para o romantismo, destacava partes do desenho que queria valorizar, colocando aí traços subjetivos na pintura.

Ingres - A grande odalisca

Ingres - A grande odalisca

Ingres - Estudo de nu

Ingres - Estudo de nu

 

Ingres - Antonia D. de Nittis

Ingres - Antonia D. de Nittis

 

Ingres - Apoteose de Homero

Ingres - Apoteose de Homero

Ingres - A grande Banhista

Ingres - A grande Banhista

Ingres - um de seus retratos de Napoleão

Ingres - um de seus retratos de Napoleão

Para quem quiser saber mais sobre este grande pintor, há várias opções de biografias na internet, como a Wikipédia (em português) e um site inteiramente dedicado a ele, com as obras completas: Jean Auguste Dominique Ingres (em Inglês).

Ouvindo: Edit Piaf – La vie en rose

Link permanente 1 Comentário

Mais Arte

15/02/2009 at 2:27 am (Arte)

Viu, geeentem, estou artística esses dias…

b0001m4dfu_01_lzzzzzzz

Uma vez passeando no CCBB do Rio, mais precisamente na filial da Livraria da Travessa que lá se encontra, achei um CD-trilha-sonora da Pantera Cor-de-rosa e fã que sou deste felino adorável não resisti e comprei. Chama-se Pink Panther Penthouse Party, e foi lançado em 2006 como parte das comemorações dos 40 anos deste felino debochado e très chic. O CD era ótimo, tinha umas 4 versões do famoso tema de Henry Mancini e outras jazísticas e remix de musiquinhas bossa nova  e lounge. Mas outra coisa me chamou a atenção: as ilustrações eram óoooootimas! Procurei avidamente o nome do ilustrador e achei: Shag.

le-faux-pas

Le Faux Pas

O Shag é um ilustrador phodástico que faz pinturas e serigrafias em cores que lembram aquele ambiente fever dos anos 60, meio Jetsons, com umas sutilezas brilhantes. Adoro. Vou até tatuar um de seus gatos, em homenagem ao Shinãe, que Deus o tenha onde estiver.

The Lost Book

The Lost Book

Sagitário e Leão, de uma série de signos

Sagitário e Leão, de uma série de signos

Não é lindo o gatinho da ilustração, o que está sentado no chão olhando pra cima? Qualquer dia posto uma foto do Shinãe (meu gato) aqui para uma breve homenagem. Bjinhos e bom fim de semana a todos!

Ouvindo: Belle & Sebastian – Lazy Jane

Link permanente Deixe um comentário

A Paixão de Artemísia

14/02/2009 at 12:26 am (Arte, O que todo mundo deveria saber)

Numa das nossas aulas de História da arte a Carol nos apresentou o trabalho de uma pintora surpreendente do período barroco, que raramente é citada nas academias.

Retrato de Artemisia Gentileschi

Retrato de Artemísia Gentileschi

Artemisia Gentileschi (1593 – 1652/1653)foi uma pintora italiana do período barroco. Filha de um grande pintor do período, Orazio Gentileschi, nasceu em Roma e desde cedo aprendeu com seu pai as técnicas pictóricas. Inspirada pelos autores da época, sobretudo Caravaggio, utilizava com maestria a técnica de chiaroscuro. Nesta época  o acesso às academias e ao métier da pintura era reservado aos homens, o que fez com que Artemísia fosse recusada. No entanto, para ajudar a filha Orazio entregou-a aos cuidados de um amigo, o pintor Agostino Tassi, para que fosse seu tutor nos estudos. Ocorreu que Tassi aproveitou-se da juventude e inocência de Artemísia e a violou, e em 1612 seu pai entrou com um processo contra o ex tutor da filha que teve grande repercussão na época. Artemísia foi acusada de se portar indevidamente e apesar da condenação de Tassi ao exílio por cinco anos, esta determinação foi apenas parcialmente cumprida.

Este trauma gerou grande revolta e influenciou profundamente a temática das obras da pintora. Sua obra mais famosa é Judite matando Holofernes, e representa muito bem a revolta, a dor e a indignação da mulher enquanto mata seu algoz. A Judite de Artemísia é forte, convicta e seu rosto e gestos transparecem a vingança. Bem mais vivo que a versão de Caravaggio. Abaixo as duas versões.
duas versões

Judite matando Holofernes: duas versões

Nota-se claramente a diferença da versão de Artemísia, à esquerda, para a de Caravaggio, à direita. A versão de Artemísia tem mais energia, é mais vívida face à de seu contemporâneo, que apresenta uma Judite plácida e bem menos madura.

Ao final de tudo, mesmo com sua imagem denegrida Artemísia casou-se e ela e seu marido foram finalmente aceitos na academie del Disegno, uma honra nunca antes concedida a uma mulher, mas as calúnias a seu respeito sempre resurgiam vez ou outra. Após a morte, suas obras foram muitas vezes ignoradas ou atribuídas errõneamente a seu pai, e até hoje não são muito comentadas.

Assinatura da pintora
Assinatura

Enfim, esta história me fascinou. Pra quem quiser saber mais, há um site sobre esta artista com muitos outros trabalhos e você pode acessar clicando aqui. Em inglês.

Ouvindo: Seal – If It’s In My Mind, It’s On My Face

Link permanente Deixe um comentário